Portal da Família ORIONITA NO BRASIL
isntitucional
Portal da Família ORIONITA NO BRASIL

FAMILIA SOLIDÁRIA APRENDENDO LIBRAS PARA SE COMUNICAR

FAMÍLIA SOLIDÁRIA

APRENDENDO LIBRAS PARA SE COMUNICAR

Fomos visitar um casal de amigos, Germano  e Iara que nos receberam muito felizes, pois o casal teve uma série de problemas de saúde e agora ambos estão muito bem. De vez em quando parece que tudo acontece, mas com fé e esperança podemos tocar nossas vidas.

Estávamos na sala conversando sobre os problemas que tiveram, quando a filha deles apareceu com um amigo.

Iara nos falou:

- Esta é a Christiane, minha filha, e este é o Fernando, amigo dela.

- Estão fazendo o cursinho do vestibular juntos. Acrescentou o pai.

Em seguida através da língua dos sinais, explicou quem nós éramos.

Nos cumprimentaram com um aperto de mão. Em seguida, começaram juntos com os donos da casa,  a conversar em libras, a língua dos sinais.

Nos lembramos da belíssima Exposição do Cinquentenário da Paróquia Nossa Senhora da Saúde quando as crianças apresentaram um número muito bonito e fizeram a linguagem dos sinais que Tatiane, esposa do Marcos,  e filha do Claudinho e Lucinha os ensinou.

O fato é que a Christiane, filha caçula do casal, nasceu surda. Os pais resolveram que o ideal para a comunicação deles seria a linguagem labial, mas por algum motivo, ficou mais difícil a compreensão do casal, da filha e dos outros três irmãos. Assim, resolveram não somente a filha, mas a família inteira aprender a comunicação através da linguagem de libras, para que a Christiane nunca ficasse sem saber o que todos estão falando.

Como não sabemos falar a língua dos sinais, começamos a perguntar e o Germano, ou Ger, como se chama carinhosamente, e a Iara faziam a tradução:

- Vocês estão com dificuldade em alguma disciplina?

- Que curso vocês escolheram?

Começamos a tentar fazer alguns sinais e eles riam, pois nem sempre fazer gestos significa que estamos no caminho certo. É preciso saber que há uma gramática e uma metodologia que leva ao ensino. Até na Comunidade Santo Antônio tem um grupo que faz tradução na missa. E a garotada fica imitando, pela curiosidade.

Assim se quisermos falar corretamente a língua dos sinais é necessário estudarmos, aprendermos como se fosse uma língua estrangeira.

Parece fácil, mas não é. Naquele dia,  ficamos sabendo de algumas coisas interessantes sobre a  língua dos sinais. Por exemplo, aprendemos que  ela é regional, ou seja no Brasil é uma, na Itália é outra, mesmo que eu aprenda aqui, nos Estados Unidos será outra, pois depende dos valores linguísticos, quer escritos ou orais, de cada língua. O alfabeto no Brasil é de 27 formas. Isso não quer dizer que em outro país será igual. Depende das características e da forma de falar de cada país,  que vai justamente mostrar o que se quer falar através dos sinais.

Mas isso tudo se torna secundário. O que importa é aprender a língua de sinais quando alguém não pode falar nossa linguagem comum. Isso é fundamental, quando temos algum surdo em nossa comunidade, nas nossas famílias ou amigos.  Qualquer  pessoa que nasceu sem o dom de ouvir,  ela poderá nos entender através de nossos sinais. Esse é um gesto de amor. Estes nossos queridos irmãos vão compreender que gostamos muito deles.  Vão sentir que eles são importantes para nós. Vão responder na língua do sinais o que queremos ouvir dela também. Entramos em comunhão, nos integramos.

Tanto a Christiane como o Fernando que conversam e estudam o tempo inteiro, “se comunicam” com as mãos, mostrando que um ensina o outro nos deveres, tornaram-se verdadeiros companheiros.

Ah... vemos tudo isso e achamos lindo. Claro que seria melhor se tivéssemos um fundo musical. Percebemos que é bem triste não poder ouvir, mas pior é o isolamento e o preconceito. Foi maravilhoso ver o Germano e a Iara entrando no universo de sua filha, a Cristiane, com todo esforço e com todo carinho de pais. Se quisermos entrar  no coração de alguém, é preciso permitir que ele entre também em nosso  coração. Compreendemos que as mãos silenciosas fazem gestos que se transformam em músicas de sinais. Com diz Exupèry: só se ouve bem quando se ouve com o coração.


"Fazer o bem sempre,

o bem a todos e o

mal nunca e a ninguém"

São Luís Orione

Mais do Orionitas no Brasil

 

Orionita Brasil nas Redes Sociais
 
 .     

Copyright © Orionitas Brasil na Web