Portal da Família ORIONITA NO BRASIL
isntitucional
Portal da Família ORIONITA NO BRASIL

MUITO ALEM DO SONHO - A HISTÓRIA DE SANTA LUZIA

MUITO ALÉM DO SONHO

A HISTÓRIA DE SANTA LUZIA

 

Estávamos chegando de uma pequena viagem ao interior, quando o telefone tocou, era o Silvio Govone bastante feliz

- Quero contar uma novidade.

Ficamos curiosos, o que será que o nosso doutor da Unesp vai nos contar?

- Diga, diga...

- Não vou dizer nada – disse o Silvio – vocês abram e vejam quantos acessos o filme Santa Luzia, a menina dos olhos celestiais, teve.

Ficamos curiosos e abrimos. Ficamos imensamente felizes. E lembramos da história deste pequenino filme. História semelhante ao filme de Santo Antônio e São Longuinho.

Faz alguns anos. A solenidade de Santa Luzia estava chegando e ficamos discutindo o que apresentaríamos para os seus devotos. Pensamos primeiramente num simples documentário, num powerpoint, contando sua história. Mas achamos que seria muito pouco. Uma santinha tão querida, com uma história tão linda vale muito mais. Somente uma pessoa cega da alma não reconhece a grandeza desta menina mártir.  Foi então que nos veio à ideia de fazer um pequeno filme sobre Santa Luzia. Algo bem simples, mas que ficaria marcado no dia de sua festa, 13 de dezembro. Queríamos um filme simples, feito apenas com o coração.

Na quinta-feira refletimos e fizemos leituras sobre a sua história. No dia seguinte, fizemos o roteiro. No sábado, falamos com algumas pessoas para nos ajudarem e no domingo filmamos entre os horários das missas e das reuniões. Trabalho despretensioso, durante a semana fez a edição e no dia da santinha, estava lá o pequeno filme. Apesar da grande equipe de trabalho era apenas um curta-metragem de 10 minutos de duração.

Vamos lembrar todas as pessoas que se envolveram no filme. Gente de coração aberto. A Taísa Dietrich como Santa Luzia. Rs... era para ser a Janaina, mas ela havia cortado o cabelo e a Taísa ficou com o papel dela. A Janaina e a Nanci ficaram como assistentes.  Lucia Demarchi fez o papel da Mãe da Santa Luzia, Jefferson Fernandes, o noivo nobre, Roberto Dietrich e Glauco Silva como os soldados e Maria Antônia de Jesus, como a mendiga.

Como figurino tivemos a Fátima Fernandes, a Maria Helena, a Cleuza, a Suely Muniz, é claro, a Rosária  e como maquiadoras a Cida Govone e a Lucilia. Na parte técnica, enquanto um dirigia o outro era o cameraman.  Ah... o Zequita fez a narração do filme. O coral da capela também ajudou nas músicas. Ops, íamos nos esquecendo do áudio do Marquinhos.

Impressionante, nada foi feito com pretensões; apenas presentear os devotos de Santa Luzia alguns lindos minutos. O filme foi exibido durante a missa da padroeira e todos gostaram. Pediram e assim acabou sendo colocado no Youtube, para que todos os devotos pudessem assistir.

Poucas pessoas e um único sentido: homenagear a santa mártir e divulgar sua mensagem. Com o passar do tempo, começou um número grande de pessoas a acessar o filme e está completando mais de 100.000 acessos. Para um filme religioso sério é um número muito grande. Estamos todos felizes, afinal o mais importante é ter alegria naquilo que se faz, acreditar que o que estamos fazendo é bom e vai agradar ao próximo.

Algumas pérolas foram escritas no Youtube como: Obrigado minha rainha, por mais esta graça alcançada / Linda história de Deus e seu poder / Graças a ela que eu voltei a enxergar , eu tinha ficado cego por causo de galhos que pegaram nos meus olhos/Realmente muito triste/Eu tenho fé nela/ Ótimo filme de Santa Luzia parabéns /Basta te dizer, Marcelo que fiquei uma semana sem enxergar e graças a Jesus Cristo e a Santa Luzia voltei ver a luz do sol (e outros depoimentos na página do video - https://www.youtube.com/watch?v=9qYniUD6Xy0).

Nada como fazer alguma coisa para o outro, nos sentimos bem, é maravilhoso ver quantos devotos acessaram para ver o video. E vejam, que é o filme mais simples que já fizemos.  A grandiosidade está naqueles que procuram o sentido da devoção. Vale sempre a pena inscrever-se em projetos de bem e de serviço à humanidade. Sem pretensões; apenas o desejo de fazer, voluntariamente, gratuitamente. Nestes tempos de "vantagens em tudo", onde muitas pessoas  não mexem uma palha, se não lucrarem muito, é bom ver pessoas servindo com generosidade.

 

Agradecemos a todos que participaram deste projeto. Mais de 100.000 pessoas foram tocados pela coragem da santa que arrancou seus olhos para converter seus algozes. Aprendemos  que o principal para fazermos as coisas, é acreditar nelas. Mesmo assim: um simples filme, como um sorriso, um pedaço de pão pode mover muitos corações. Empenhe-se em projetos que te transformem o coração. Eles transformarão o mundo. 

 

 

Pe. Antônio S. Bogaz (orionita), doutor em Filosofia, Liturgia e Sacramentos e

Teologia Sistemática - Cristologia

Prof. João H. Hansen, doutor em Literatura Portuguesa e

Ciência da Religião e Pós-doutor em antropologia

Envie seu comentário
Nome
Email (não será exibido no site)
Site (http://)
Mensagem

"Fazer o bem sempre,

o bem a todos e o

mal nunca e a ninguém"

São Luís Orione

Mais do Orionitas no Brasil

 

Orionita Brasil nas Redes Sociais
 
 .     

Copyright © Orionitas Brasil na Web