Portal da Família ORIONITA NO BRASIL
isntitucional
Portal da Família ORIONITA NO BRASIL

AMIGOS SÃO OÁSIS

AMIGOS SÃO OÁSIS

PROCURANDO A FAMÍLIA THOMAZELLA

 

Após a Missa do Galo, como é conhecida no Brasil, a missa celebrada na noite da véspera do Natal, fomos visitar a Família Thomazella. Estávamos ainda fascinados pela celebração com centenas de pessoas felizes, crianças cantando músicas natalinas e o presente para o Menino Jesus. Foram mais de mil presentes colocados aos pés do menino Jesus, que foram levados pelos vicentinos para as crianças da periferia.

Abraços aos fiéis, com alegria e pé na estrada. Nunca tínhamos ido à noite lá no sítio e simplesmente esquecemos de perguntar  o quilômetro da residência.  Mas... como já tínhamos ido anteriormente e várias vezes a tarde, achamos que seria simplesmente fácil. Nem é necessário dizer que passamos pelo sítio sem vê-lo. Era tudo escuridão. Ainda mais, a neblina leve e suave dava a sensação que realmente estávamos perdidos.

 Fomos em frente. Nos momentos de indecisão, a memória fabrica fantasias. Perdemos a coerência entre a certeza e a dúvida. São trapaças da mente humana.

Num posto policial, o Tenente Marcos, nos atendeu com grande simpatia e interesse. Mas ainda estávamos perdidos. Os caminhões passavam rapidamente e nos assustavam. A Rosária estava conosco e no silêncio parecia rezar.

No momento em que estamos perdidos, a angústia nos assalta e perdemos mesmo o bom senso e a memória inventa mais fantasias. São frutos do medo. Entramos no local e eis que aparece algo nunca dantes visto. Carros e carros e um ambiente de festa. Paramos e fomos perguntar.

Nos atenderam. Era a família do tio João  Thomazella,  tio do Padre Rodinei. Como a vida tem surpresas bonitas. Fomos acolhidos numa outra festa com grande alegria.  Que gente maravilhosa. Abraçamos a todos, comemos  e ainda levamos quitutes para casa.  Feita a visita relâmpago, eis que chegamos na casa dos nossos anfitriões.Todos estavam nos esperando.

- Ainda bem que chegaram – disse a Tata.

- Estávamos indo para a Rodovia esperá-los, com lanterna e tudo – disse o Tibico.

Os pais José e Maria Thomazella nos ofereciam de tudo, como que querendo agradar.

A Nina, o  Raelton, a Tata, o Pe. Rodinei,  e os sobrinhos tão simpáticos colocavam doces à  nossa frente.

Foi uma alegria muito grande encontrar “seu Zé e dona Maria”, com o carinho de sempre recebendo as pessoas, do Padre Rodinei, da Tatá e do Tibico, noras, genros, netos, parentes, sogras, sogros e tanta gente. Como é maravilhoso ter uma família. Mas família a gente constrói, tecendo laços afetivos na alegria, na doença e na adversidade.

Comentamos sobre algumas pessoas que não tem família e não podem ir para suas casas, pessoas que infelizmente estão de fato perdidas na estrada da vida e não tem que as receba, nem família e nem amigos no Natal.

São os preferidos de Deus. Passam sozinhos e sem ninguém estes momentos familiares, esta alegria que deve se repartida com todos. Existem mesas vazias, porque existem corações vazios.

Nem é necessário dize

r que nos sentimos em casa, com estes  amigos, que não saem do coração. Cada vez que estamos juntos, o riso vem naturalmente e tudo o que falamos é do bem que cada família irradia no mundo.

A vida é feita de esperança. E devemos alimentar sempre este sentimento, sobretudo nos momentos difíceis. Poucos minutos antes estávamos perdidos na estrada. Rezamos e não nos desesperamos. Procuramos manter a calma, pois facilmente nos tornamos agressivos nos momentos de aflição e acabamos por maltratar as pessoas mais queridas. Tantas famílias, como a família Thomazella, são amparo das gerações.

Voltamos para casa com o coração leve e feliz. Para quem estava ligeiramente perdido na estrada, encontramos o oásis no coração dos amigos. Certo, assim, o coração dos amigos e benfeitores é o oásis no deserto de nossas vidas. Que seja assim a cada dia deste novo ano.

 

 

Pe. Antônio S. Bogaz (orionita), doutor em Filosofia, Liturgia e Sacramentos e

Teologia Sistemática - Cristologia

Prof. João H. Hansen, doutor em Literatura Portuguesa e

Ciência da Religião e Pós-doutor em antropologia

Envie seu comentário
Nome
Email (não será exibido no site)
Site (http://)
Mensagem

"Fazer o bem sempre,

o bem a todos e o

mal nunca e a ninguém"

São Luís Orione

Mais do Orionitas no Brasil

 

Orionita Brasil nas Redes Sociais
 
 .     

Copyright © Orionitas Brasil na Web